A antiga 1ª série e o atual 1°ano do ensino fundamental de 9 anos

19/out/2017 às 16:02 por Profa. Sônia R.Aranha em: educação

Tenho recebido de algumas mães comentaristas a preocupação de que seu filho ou filha ingressem no 1° ano do ensino fundamental com 5 anos, a completar 6 anos em junho (data-corte atual para todo o Estado de São Paulo, com exceção das escolas públicas municipais e estudais da capital paulista) sem um preparo adequado .

A preocupação destas mães se aloja na ausência ou mesmo no pequeno conhecimento que seus filhos têm de esquemas conceituais da escrita. Tenho esclarecido  que o 1° ano atual não é, ou não deveria ser, a 1ª série antiga que recebia crianças de 7 a 8 anos de idade.

Diferentemente da 1ª série antiga que destinava o seu maior tempo escolar para o trabalho com conteúdos envolvendo o estudo da escrita, leitura , matemática , das ciências e humanidades, deixando um ínfimo espaço para atividades lúdicas,em geral limitado ao parque ,  o 1° ano atual dedica-se a valorizar os jogos e as brincadeiras como parte integrante e fundamental do aprendizado das diferentes áreas do conhecimento e porque lida com crianças que muito pouco tempo atrás encontravam-se na Educação Infantil.

O 1° ano do ensino fundamental é um preâmbulo de alfabetização , é um introdutório, portanto, não é necessário que a criança de 5 anos, a completar 6 anos em junho, conheça as letras e escreva o seu próprio nome e já tenha entendimento do significado de sílaba.

O 1° ano ,como introdutório, contará com um programa pedagógico adequado para as idades de 5 e 6 anos levando em consideração o longo e complexo trajeto do processo de construção da escrita e da leitura ,a saber:

1) Capacidade de distinguir desenho de escrita ;

2) Elaboração de hipóteses sobre a quantidade , a combinação e a distribuição das letras, isto é, a criança por seu próprio esforço intelectual , estabelece condições gráficas para a realização do ato de leitura e escrita;

3) Questionamento a respeito da escrita e a ideia de que a escrita representa o modo de nomear as coisas, portanto, a escrita é um nome.

4) O momento seguinte é a compreensão dos espaços em branco entre o conjunto de letras significando a compreensão da unidade , a“palavra gráfica”.

5) Finalmente a criança tenta conincidir a escrita e o enunciado oral. Essa primeira relação entre fragmentos escritos e unidades orais se estabelece no nível da sílaba. É o que se chamou de “hipótese silábica”.

6) A partir desse avanço conceitual, a criança segue elaborando hipóteses para encontrar soluções adequadas, capazes de representar os sons graficamente, e, ao contrário, conhecer o som correspondente à grafia.

Este processo ocorre em todo o 1°ano e se estende até 2°ano que terá ,este sim, como objetivo levar a criança a compreender o sistema alfabético e dominar os conceitos de letra, sílabas , palavras , frases e texto , isto é , unidade de sentido para o leitor.

O 1° ano introduz a criança no mundo das letras por intermédio do trabalho com textos nas diferentes modalidades :

modalidade oral = contar e ouvir histórias ficcionais e reais;
modalidade visual = assistir filmes e desenhos animados, leitura de livros de imagens;
modalidade sonora= cantigas de roda, poemas;
modalidade cênica ou corporal= teatro, incluindo o de fantoches;
modalidade escrita= pequenas frases, pequenos contos.

Além disso, o programa pedagógico do 1° ano deve, necessariamente, ser composto de atividades lúdicas :

Jogos de regras;
Jogos simbólicos ou de faz de conta – casinha, escolinha, cozinhar
Jogos de tabuleiro – memória, dominó, trajetória
Jogos de combinação de palavras – um , dois , feijão com arroz… “hoje é domingo, pé de cachimbo…”

Brincadeiras de:

passar o anel;
toca do coelho;
caixa surpresa;
telefone sem fio;
plásticas: com argila, com massinha, com tinta;
ciranda;
pular corda, elástico , amarelinha;
com bola etc..

As atividades de brincadeiras e jogos são importantes para o processo de aquisição da linguagem e de compreender seu papel social e comunicativo , além da aprendizagem das convenções e habilidades sociais.

Desse modo , a criança com 5 anos a completar 6 anos no ano letivo têm plena condição de acompanhar o plano de trabalho do professor do 1°ano do ensino fundamental, lembrando ainda que a Resolução CNE/CBE N°07/2010 recomenda a não retenção nos três primeiros anos do ensino fundamental , o que significa que as mães não devem ficar  preocupadas, mas  cobrar,se necessário for, um trabalho pedagógico engajado em contribuir para o avanço da criança.

Tags: , ,

Veja Também: Sem assuntos relacionados.

16 Comentários »

  1. Telma Dias da Silva Oliveira comenta,

    outubro 14, 2012 @ 23:27

    Obrigada amiga por essas e outras informações que tanto tem me ajudado nessa batalha da “data-corte”.

  2. Profa. Sônia Aranha comenta,

    outubro 15, 2012 @ 2:19

    Obrigada digo eu de poder contar com a sua amizade e visita constante aqui no blog! Forte abraço!

  3. arlete luzia tomasi fadini comenta,

    outubro 25, 2012 @ 18:09

    Boa tarde, Prof Sonia !
    Lendo sua resposta de 14/10 e outros questionamentos venho conversar com você.
    Estou muito preocupada com minha neta que também fez 6 anos um junho e que ainda está na última fase da educação infantil( escola privada) . Porém, ela tem um potencial grande
    ( cognitivo), lê fluentemente , interpreta e produz textos ortograficamente , trabalha com cálculos matemáticos, conhece numerais até 1000, memoriza textos, dramatizando-os com desenvoltura desde pequenina, entre outros( Lê e escreve desde desde os 3 anos e meio. Nesses últimos anos ela faz atividades extras ( a escola dá atividades extras das turmas da série seguinte e ela resolve com a maior facilidade). Hoje ela está no nível ou melhor do que as crianças que irão para o 2º ano. Por causa da idade/corte ( 31 de março) ela perdeu a oportunidade desse ano entrar no 1º ano. Não fomos orientados a entrar com mandado de segurança para tentar a matrícula dela no 1º ano e agora quero conseguir a aceleração/reclassificação ou avanço. A escola diz que tem que acatar as normas CEE… O que fazer??? Procurar enquadrá-la na educação especial como altas habilidades???? O que você me orienta?? Moramos no Espírito Santo?
    Obrigada
    Arlete

  4. Profa. Sônia Aranha comenta,

    outubro 25, 2012 @ 19:15

    Olá querida Arlete,

    Acho que é possível tentar o seguinte:

    Matricula no 1o ano em 2013. Inicia as aulas e no 1o bimestre solicita da escola uma avaliação,como também, busque uma psicopedagoga para fazer um laudo psicopedagógico.
    Com estes documentos impetra mandado para aceleração.
    Eu acho que este é o caminho porque ela tem , a meu ver , necessariamente que passar pelo 1o ano para depois seguir para o 2o ano acelerada.
    Não é coisa simples, mas eu vou lhe indicar uma advogada que é expertise neste assunto.
    Ela é de São Paulo , tem um blog Mãe de Crianças Superdotadas , membro do Núcleo Paulista de Atenção à Superdotação e impetrou mandado para o filho dela para acelerá-lo de série.Sabe muito a este respeito.

    Dra. claudia Hakim – claudiahabim@uol.com.br
    Blog http://maedecriancassuperdotadas.blogspot.com.br/

    Entre em contato com ela e diga que a Profa.Sônia Aranha é que deu esta informação.Somos parceiras na causa da data-corte. Ela já deu entrevista aqui no blog.

    Ela saberá certamente lhe orientar ,ok? Forte abraço

    Leia: http://www.soniaranha.com.br/24-de-outubro-encontro-paulista-de-atencao-a-superdotacao-npas/

    http://www.soniaranha.com.br/o-poder-judiciario-e-favoravel-ao-mandado-de-seguranca-para-garantir-a-matricula-no-1%C2%BA-ano-do-ensino-fundamental/

  5. luciana costa comenta,

    agosto 4, 2014 @ 0:31

    olá Sonia, sou de MG e a data-corte é 30-06, uma criança que a mãe buscou na justiça o direito de permanecer no infantil , terá dificuldades de se matricular no primeiro ano, já tendo completado 6 anos no dia 10-06-2014

  6. Profa. Sônia R.Aranha comenta,

    agosto 4, 2014 @ 3:28

    Oi Luciana,

    Sim, mas depende se a escola é pública ou particular.

    Segundo o Parecer. CEE n.729/2013 a data-corte 30/06 é para escolas públicas, então se a escola for particular poderá usar este Parecer e a data de corte 31/03 justificando assim a permanência da criança na educação infantil.

    Mas se a escola for pública acho difícil deixar a criança na Ed.Infantil mas os pais poderão recorrer a Justiça com uma ação de obrigação de fazer e explicando para o juiz o motivo pelo qual querem que a criança fique na Ed.Infantil.

    É uma tentativa, mas na área de educação penso que não será possível.

    Abraços

  7. Monica comenta,

    setembro 6, 2014 @ 20:39

    O grande problema que enfrento é que a maioria das escolas privadas de Curitiba estão fazendo do atual 2.o ano a antiga 2a. série, e o aluno que não entrar na 2a. série lendo, escrevendo interpretando, está fora. Além das resoluções de matemática. Eu que tenho um filho saindo de uma escola infantil, onde o N6 corresponde à 1a. série estou sofrendo muito ao matricular meu filho em uma escola para o próximo ano, nas quais exige-se tudo isso que mencionei. O que fazer????

  8. Profa. Sônia R.Aranha comenta,

    setembro 7, 2014 @ 2:37

    Monica, o seu filho está na ed.infantil ingressando no 1o ano do ensino fundamental ou já está cursando o 1o ano e segue em 2015 para o 2o ano?

    Dê mais detalhes.. aguardo..

  9. Agata Greice comenta,

    março 16, 2017 @ 1:40

    Olá meu filho completouro 6 anos em outubro e estar no 1 ano escolar ano passado estava no pré gostaria de saber se ele está certo

  10. Profa. Sônia R.Aranha comenta,

    março 16, 2017 @ 18:37

    Agata Greice, sim , está correto

    6 anos em outubro de 2016
    em janeiro de 2017 tinha 6 anos e pode efetivar a matrícula no 1o ano
    Ele fará em outubro 7 anos.

    Sim está correto porque a data de nascimento dele é fora da data-corte 31/03 ou 30/06.

    Exceto se você for do Rio de Janeiro, daí ele poderia ter ingressado no 1o ano em 2016.

    ok?

    abraços

  11. Raquel comenta,

    outubro 21, 2017 @ 20:16

    Boa tarde,
    Gostaria de saber como devo proceder para solicitar a retenção do meu filho na Educação Infantil. Moramos em Campinas/SP (data de corte na escola: 30/06), ele completou 5 anos em 16/06/2017 e está cursando o último ano da Educação Infantil. Apesar de ele ainda não ter atingido o nível de conhecimento esperado para ir para o 1o ano (com base em relatórios fornecidos pela própria escola), como a retenção antes do 3o ano não é mais permitida, a escola pretende que ele faça o 1o ano em 2018.
    Desde já, obrigada pela ajuda.

  12. Profa. Sônia R.Aranha comenta,

    outubro 23, 2017 @ 2:32

    Raquel, somente tentando na Justiça.

    Caso queira posso lhe indicar advogada especialista neste assunto que poderá lhe orientar
    e impetrar o mandado de segurança.

    ok? Entre em contato : saranha@mpcnet.com.br

    Att

  13. Celina comenta,

    novembro 1, 2017 @ 19:02

    Boa tarde,
    Fiz a matricula do meu filho de 2 anos e 1 mês para o maternal 3 no ano de 2018, no inicio do ano letivo ele estará com 2 anos e 4 meses. A secretaria da escola me ligou informando que a matricula foi feita de forma errada que ele deverá cursar em 2018 o maternal 2. Como eu faço para que ele seja realmente matriculado no maternal 3 e não fique atrasado 1 ano por causa de 2 meses e 8 dias. Moramos me MG.

  14. Profa. Sônia R.Aranha comenta,

    novembro 2, 2017 @ 19:32

    Celina, somente impetrando o mandado de segurança via Justiça. Se o juiz conceder liminar daí dá para fazer a matrícula, caso contrário, não.

    Abraços

  15. Ana comenta,

    novembro 15, 2017 @ 18:39

    Boa tarde, profª Sônia! Moro em Porto Velho e meu filho cursa o pré II e ano que vem, consequentemente, iria para o 1º ano do ensino fundamental. Já sabe ler e escrever com desenvoltura. Acontece que para onde vamos(Porto Alegre) não estão aceitando de forma alguma sua matrícula devido a data de corte ser 31/03 e ele ter nascido em 26/06/2012. Somente por MS consigo valer sua matrícula? Se sim, gostaria, se possível, que me indicasse algum adv de porto alegre.

    Desde já, agradeço.

  16. Profa. Sônia R.Aranha comenta,

    novembro 16, 2017 @ 14:22

    Ana , RS é difícil….

    Uma leitora minha anos atrás conseguiu a liminar em 2a instância.

    O problema é encontrar advogado lá que faça isso.. eu tinha um para indicar mas ele não está mais trabalho com este tipo de ação.

    A priori somente o mandado de segurança é que consegue efetivar a matrícula.

    No Estado de São Paulo praticamente 99% dos casos o juiz concede liminar, mas no RS está bem difícil.

    Posso lhe indicar advogada de São Paulo que atua em todo o país para impetrar o mandado, mas alerto que a consulta não é gratuita, ok? Entre em contato: saranha@mpcnet.com.br

    abraços

Por favor, Deixe um comentário aqui !