Medicar a criança na escola pode?

27/jun/2018 às 19:58 por Profa. Sônia R.Aranha em: educação

 

Medicar a criança na escola pode ser feita por professores ou pedagogos?

Este é um assunto bem complicado porque muitas escolas se recusam a ministrar medicação em seus alunos.

Escolas maiores oferecem serviço de ambulatório e nele há uma enfermeira que tem competência para ministrar os medicamentos.

As escolas menores não possuem este serviço e ficam de mãos atadas.

Recomendo a leitura de documento elaborado pela Sociedade Brasileira de Pediatria AQUI

Por outro lado a Urgência Médico-Escolares dizem que:

Remédios controlados (de tarja preta na embalagem) como anticonvulsivantes, antidepressivos e outros, não devem ser administrados na escola, assim como medicações injetáveis e de uso em nebulização. O uso de medicamentos spray por via oral de inalação (“bombinhas)” só deve ser realizado com a apresentação da prescrição médica e por adulto capacitado para fazer a aplicação corretamente.”

Leia  AQUI

Há também o interesse da classe profissional do enfermeiro (cuja uma das atribuições é ministrar medicamento receitado pelo médico) pela reserva de mercado, afinal se professor ou pedagogo puder ministrar remédio… como fica?

O assunto é muito polêmico e não há uma lei que bata o martelo sobre ele.

O que dá para fazer é a escola entrar em contato com o médico e solicitar que a medicação seja feita de tal forma que não seja preciso ser ministrada em horário escolar, mas na impossibilidade obter do médico uma orientação clara e por escrito: horário da medicação e dose correta. Além disso, deve também solicitar dos pais e por escrito, autorização para ministrar a medicação, desde que seja uma medicação simples e de fácil posologia.

AJUDE A MANTER ESTE BLOG PARA QUE ELE POSSA AJUDAR VOCÊ – faça uma doação, clique no botão abaixo.

Depósito no Banco Itaú -Ag.1370- c/c 05064-1





Tags: ,

Veja Também: Sem assuntos relacionados.

Comentário