Testemunho de um pai que foi à luta em busca do direito de seu filho

15/jan/2016 às 20:36 por Profa. Sônia R.Aranha em: educação

Por José Alves

Agradecimento,

Profa. Sônia, pessoas como você, que dispensam tanto tempo assim em ajudar outras pessoas, são iluminadas por Deus. Se você acha que está ajudando muitas pessoas; pode ter certeza que esta quantidade, vai muito além do que você possa imaginar.

Olha isto:

Meu filho estudou mais de 12 anos em escola particular (desde o pré) sem nunca ter repetido e agora no último ano do ensino médio, resolveu mudar para outra escola particular. Mas aí recebi aquela notícia que ninguém gosta de receber. A sua retenção.

Como pai de um aluno retido injustamente, o único de sua classe e ainda mais no último ano do ensino médio. Fiquei desesperado, pois por motivos financeiros, ele teria que ir para a escola pública (sem desmerecimento mas sabemos que existe uma lacuna entre a qualidade de ensino pública x particular) e sabia que sua retenção tinha sido injusta e por perseguição (na verdade por castigo) da diretoria. Meu filho sempre se destacou em classe pelas notas altas apresentadas e tbm pelo excesso de faltas (diga-se de passagem: indisciplina mas com alta capacidade pedagógica). O que inclusive, acabou gerando uma reclamação formal junto a diretoria, por parte de alguns alunos que não achavam justo um aluno ter várias faltas e tirar as melhores notas.

E foi, principalmente através de seu blog e tbm das pessoas que participam através dos comentários que me mostraram e me esclareceram os direitos que temos e as formas de lutar contra aquilo que não achamos justo.
Hoje (15/01/2016), recebi o comunicado da escola sobre o parecer da diretoria de ensino daqui da cidade onde moro: Votorantim/SP, que a decisão do conselho foi unânime e contrária a escola. Portanto; meu filho foi APROVADO….e como se não bastasse essa importantíssima informação; hoje foi o último dia do resultado do SISU…e meu filho que sempre sonhou em estudar na área de TI (Tecnologia da Informação), também foi aprovado em 2 faculdades federais da região (UFCAR e IFSP).
Não é por ser meu filho, mas como seres humanos; Sempre temos que acreditar nas pessoas.

Agradeço a você  Profa. Sônia e a todos que indiretamente contribuíram para esta vitória. Que Deus abençoe a todos.


AJUDE A MANTER ESTE BLOG PARA QUE ELE POSSA AJUDAR VOCÊ – faça uma doação, clique no botão abaixo. Saiba mais sobre as motivações aqui

depósito no Banco Itaú – 341-ag.0546- c/c 69960-4-Centro de Estudos Prospectivos de Educação e Cultura-CNPJ 03.579.977/0001-01





Tags: , ,

Veja Também: Sem assuntos relacionados.

11 Comentários »

  1. Luiz Matos comenta,

    janeiro 16, 2016 @ 22:43

    Dividirei este comentário em 2 partes:
    1) Entrei no site/blog após uma busca sobre uma dúvida básica (quantidade mínima de dias letivos p/ o maternal I), já que, entrarei nesse mundo agora (hj fiz minha 1a. visita a uma papelaria com uma lista de materiais na mão). No post acessado, vi nos comentários (+ de 400) da profa. Sônia a atenção em responder cada dúvida. Senso de colaboração raro nos dias atuais.

    2) Sobre o testemunho, vejo que o pai toca em dilemas como desempenho x presencialidade e escola atual x escola “do futuro”. Tentando analisar de diferentes pontos de vista, vejo que, do lado da escola, há o dever de cumprir a legislação vigente (percentual mínimo de frequência). Do lado dos pais/alunos, o querer fazer diferente, expandir os horizontes e construir o conhecimento de acordo com sua realidade.

    Desejo boa sorte ao José Alves, pois, apesar da área de TI favorecer os autodidatas, seu filho terá que frequentar pelo menos 75% das aulas. Isso é fato! Sugiro que tenha o cuidado de não torná-lo, a partir desse parecer favorável, um “questionador sem causa”, no sentido de abrir recursos, processos e etc. sempre que sua vontade for contrariada. Afinal, infelizmente (ou não), na educação também vale a máxima: dura lex sed lex.

    E viva a pedagogia da autonomia. :)

    Luiz Matos
    Rio Branco/AC

  2. XX comenta,

    janeiro 17, 2016 @ 16:52

    Boa tarde… Gostaria de contar a história do que aconteceu comigo no último ano do ensino médio…
    Infelizmente não possuía conhecimento de que era possível recorrer a reprovação… Morava em uma cidade pequena e acabei recorrendo a coordenadoria da educação que não “puderam” me ajudar..
    Sempre fui uma boa aluna, com notas boas e boa frequência escolar. Nunca tive problemas na escola, e no último ano acabei sendo reprovada em apenas uma disciplina.. Havia pego recuperação em duas disciplinas e reprovei em uma.. Como mencionei anteriormente não havia informação e não soube onde recorrer.
    Procurei a escola junto aos meus pais e eles também não me passaram nenhum tipo de informação…
    O que mais me deixou chateada foi que a diretoria aprovou alunos considerados inferiores a mim e eu fui reprovada. Procurei a escola justamente pra ter uma resposta sobre apenas eu ter sido a única reprovada da minha turma… Não disseram nada! Enquanto todos meus colegas foram para a faculdade no ano seguinte, eu fiquei retida em apenas um componente curricular.
    Infelizmente já se passaram 5 anos, mas é uma coisa que me deixa muito chateada pois sempre soube do meu potencial e de que era uma boa aluna. Tive um problema no início do ano letivo e tive que fazer uma operação, fiquei sem ir pra aula por mais de 15 dias, sei que isso não justifica pois consegui recuperar as notas de outros componentes e acabei sendo retida em um.
    Li em uma outra publicação sua, de que a retenção em apenas um componente pela escola no último ano do ensino médio pode ser considerado um “mico pedagógico”. Até hoje eu não entendo porque fiquei retida no último ano, sempre fui boa aluna e a escola não levou em consideração nada disso…
    Fico muito triste ao ver meu histórico escolar e constatar minha UNICA reprovação durante toda fase escolar e justamente no meu último ano escolar…

  3. Renata Pinto comenta,

    fevereiro 2, 2016 @ 0:24

    Boa noite,
    Meu filho, de 15 anos, cursou o 1 ano do ensino média em 2015. Foi para prova final, em janeiro, em 5 disciplinas (Português, Matemática, Biologia, Química e Física).
    Ele conseguiu aprovação em Português 6,0 pontos, Biologia 6,0 pontos e ficou reprovado em Matemática 5,0 pontos, física 4,5 e química 0,5. Endo que a média da escola é 6,0 pontos.
    A escola dele, particular, dá o direito de fazer 2 dependências. Se ele tivesse tirado uma nota maior em matemática, teria passado e faria dependência em química e fisica.
    Pergunto: cabe recurso, para o resultado de matemática?
    Solicito orientação!!!
    Moramos no estado do Rio de Janeiro.

  4. Profa. Sônia R.Aranha comenta,

    fevereiro 17, 2016 @ 4:29

    Renata Pinto, o recurso sempre cabe porque é um direito do aluno concedido pela lei federal n.8069/90, artigo 53, inciso III que diz que a criança e o adolescente tem direito de contestar critérios avaliativos.

    O problema é que no Estado do Rio de Janeiro não há ato normativo que discipline o recurso..

    Mas tente elaborando um documento Pedido de Reconsideração para a escola .. quem sabe a direção reconsidera , mas se indeferir o Pedido não há para onde recorrer porque o SEEDUC não interfere.. pelo menos por enquanto ..

    ok?

    abraços


    AJUDE A MANTER ESTE BLOG PARA QUE ELE POSSA AJUDAR VOCÊ – faça uma doação, clique no botão abaixo. Saiba mais sobre as motivações aqui

    depósito no Banco Itaú – 341-ag.0546- c/c 69960-4-Centro de Estudos Prospectivos de Educação e Cultura-CNPJ 03.579.977/0001-01


  5. Adriana comenta,

    março 3, 2016 @ 15:32

    Boa Tarde, Professora,

    Gostaria de um esclarecimento… o colégio do meu filho alterou o horário de provas este ano… para um horário fora do previsto para as aulas, alegando que, devido à preparação para o Enem e à complexidade do 3º ano do Ensino Médio, não há como realizar dentro do horário das aulas…
    Meu filho está matriculado em um curso específico de Redação, cujo horário é exatamente o de realização das provas e, infelizmente, o cursinho não oferta outro horário por falta de disponibilidade do professor.
    Tentei que o colégio aplicasse as provas no horário das aulas para todos ou pelo menos para o meu filho, mas não houve acordo.
    O diretor afirma que ele terá que fazer todas as provas dos dois bimestres no período de reposição, ou seja, terá que fazer mais praticamente 20 provas em 4 dias, previsão de acordo com o calendário de reposição, o que torna impossível um bom rendimento em todas.
    Gostaria de saber se realmente o colégio faz as provas no horário que quer e se há algo que eu possa fazer para que ele realize essas provas durante os dois bimestres.
    Agradeço antecipadamente a atenção.

  6. Profa. Sônia R.Aranha comenta,

    abril 3, 2016 @ 2:15

    Adriana,

    1) Verifique o que diz no Regimento Escolar se está previsto esta mudança de horário de provas.

    2) Verifique no Contrato de Prestação de Serviço o que diz.

    Se não houver em nenhum desses documentos esta mudança você poderá questionar a escola novamente alegando que não consta em nenhum documento legal da escola esta alteração de horário.

    Poderá levar esta questão para a Secretaria de Educação ou mesmo para a Justiça se for o caso.

    ok?

    Lembre-se que o Regimento Escolar é o documento que rege as regras e a convivência na escola. O que está nele está valendo e o que não está nele não está valendo,ok?

    abraços

  7. Recurso contra Reprovação comenta,

    abril 7, 2016 @ 1:29

    [...] mais : aqui , aqui, aqui, aqui e [...]

  8. Fernanda saura comenta,

    abril 19, 2016 @ 14:06

    Bom dia… Preciso de socorro.. E foi atrás disso q me deparei com seu blog… Amei as informações mas gostaria de saber se pode me ajudar mais pessoalmente. .. O caso é o seguinte
    Meu filho ficou em dependência em duas matérias no 2 ano do ensino médio em 2014… Cursou o ano letivo de 2015 e passou no 3 ano sem fazer as dependências, fez Enem. Foi chamado para faculdade mas ai da esta sem poder pegar o seu certificado por causa da dependência q é em física e química do 2 ano… Ja agora em 2016 fez trabalho e prova mas nao conseguiu. Alcançar a nota… Estas matérias nunca foram o forte dele, nao sei como agir pois ele pode perder a vaga na faculdade o q foi conseguida através do prouni… Bolsa 100%… nao vejo os professores realmente querendo ajudar… O que fico mais encucada é que durante todo o ano letivo de 2015 nao se fez a dependência e agora passado no 3 ano ena faculdade fica impedido de seguir em frente….

    O q devo fazer? Miramis em Goiânia Go meu filho cursou o ebsini médio em escola publica

    Obrigada pela atenção

  9. Profa. Sônia R.Aranha comenta,

    abril 21, 2016 @ 1:07

    Fernanda… que situação.

    1) Tente elaborar um documento endereçado para a direção da escola para que ela convoque o Conselho de Classe e decidam a aprovação dele.

    2) Se não conseguir deferimento do seu pedido outra saída seria a Justiça isso se tiver condições financeiras para impetrar uma ação para conseguir na Justiça.

    3) Quais foram as notas dele no ENEM ? Se nessa área que ele ficou de DP a nota superou 450 pontos dá para brigar e tentar que a direção da escola o aprove junto ao Conselho.

    Eu presto serviço de elaborar o documento para a direção, porém cobro honorários.Caso precise entre em contato comigo: saranha@mpcnet.com.br

    Caso precise de um advogado para o caso posso indicar-lhe um, ok?

    abraços


    AJUDE A MANTER ESTE BLOG PARA QUE ELE POSSA AJUDAR VOCÊ – faça uma doação. Saiba mais sobre as motivações aqui

    depósito no Banco Itaú – 341-ag.0546- c/c 69960-4-Centro de Estudos Prospectivos de Educação e Cultura-CNPJ 03.579.977/0001-01


  10. Lucas comenta,

    novembro 7, 2016 @ 12:53

    Oi .
    Recebi a nota média da 3 unidade de 2,9 , sedo que fiz todas as atividade .
    Depois de ter recebido está nota a professora sai insinuando no pátio da escola que me deu essa nota porque estava eu envolvido com política e eu não apoiava o mesmo candidato dela , sendo que ela não vota na mesma cidade que eu mas o candidato dela veio de sua cidade .

    Sei que isso é errado e irei tomar as minhas providências cabíveis para este caso .

    Pessoal informações e desde já agradeço.

  11. Profa. Sônia R.Aranha comenta,

    novembro 7, 2016 @ 14:21

    Lucas, de fato isso não é permitido.

    A nota representa o que o aluno aprendeu diante de um objetivo pré-estabelecido.

    Se você maior de idade escreva documento endereçado para a direção da escola denunciando a conduta da professora e pedindo providências e solicitando uma nova avaliação para ser corrigida por outro professor da matéria porque a avaliação dela está prejudicada pela visão política contra você.

    Se você for menor um responsável legal é que deve fazer isso.

    Caso não tenha providências, faça um documento denunciando a professora para a Secretaria de Educação com cópia para o Ministério Público do seu Estado e peça a intervenção dele.

    ok?

    abraços

Por favor, Deixe um comentário aqui !